Skip to content
shop online

PRODUÇÃO

UMA MISTURA DE QUALIDADE, MODERNIDADE E TRADIÇÃO

Nos estabelecimentos Cellini, o café verde, proveniente de plantações de todas as partes do mundo, é misturado, produzido e acondicionado com todo o cuidado para obtermos o café, moído ou em grão, que temos o prazer de apreciar todos os dias. Todos os processos de produção são geridos através de um sistema computorizado para garantir um controlo constante. Contudo, é a experiência e a paixão de todas as pessoas envolvidas na produção o que mais tem contribuído para a elevada qualidade do café Cellini.

CHEGADA DA MATÉRIA-PRIMA

Diariamente, chegam ao nosso estabelecimento sacas de café das mais diversas origens, pesando cerca de 600/1200 kg. Depois de um primeiro controlo organolético e da passagem pelos limpadores, peneiras e separadores, os grãos ainda verdes são introduzidos nos silos do café crú.

TORREFAÇÃO

O café verde é introduzido em máquinas próprias, sendo torrado durante 15/18 minutos, a uma temperatura de, aproximadamente, 210°/220°. O processo é desenvolvido através de curvas constantes de torrefação, analisadas a cada mistura de café e controladas por um sofisticado método computorizado.

Durante o processo de cozedura, a perda total de peso do café poderá oscilar entre 15/16% até 20/21%, consoante o grau de torrefação, em virtude da evaporação da água presente no café verde. Pelo contrário, o volume dos grãos torrados poderá aumentar até 50%, diminuindo consideravelmente o seu peso.

CONTROLO

Logo após o processo de torrefação, mediante um instrumento de laboratório adequado, é verificado o grau de cor da mistura e comparado com os parâmetros determinados pelo nosso “laboratório de qualidade”. As misturas consideradas conformes são depois triadas e colocadas nos silos apropriados, durante um período de repouso previamente fixado.

Uma torrefação mais clara tende a reduzir o defeito do “excesso de amargor” do café e a exaltar as virtudes da acidez e da doçura, pois numa mistura mais escura, os sabores na chávena tendem a esbater-se.

MOAGEM

O café passa em seguida aos rolos de trituração. Esta fase é muito delicada e é constantemente monitorada por instrumentos laser. O padrão de granulometria é controlado em tempo real e, posteriormente, também a volumetria do produto depois de moído. Teremos assim uma moagem homogénea, regular e em plena conformidade com os padrões declarados.

Sucessivamente, a mistura obtida é colocada em silos específicos para o repouso, durante um período de estabilização variável, entre 2 a 24 horas, consoante o tipo de acondicionamento final. Este período de intervalo é essencial para levar o produto à fase de acondicionamento, reduzindo o perigo de empolamento das embalagens.

ACONDICIONAMENTO

Todo o café torrado é embalado em atmosfera modificada, exceto as embalagens de café moído, com máquinas automáticas preparadas para garantir a máxima duração em termos de conservação, de fragrância e de qualidade do produto. Em todas as embalagens de café em grão é aplicada uma válvula ‘salva-aroma’. O produto acabado é colocado em paletes de cartão ou em fardos de polietileno termo retrátil. É posteriormente enfaixado por uma máquina empacotadora que, de forma automatizada, envia as paletes acabadas para o armazém.

ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO

O armazém está organizado por forma a seguir rigorosamente a metodologia “FIFO” ( first in first out: primeiro a entrar, primeiro a sair). Desta forma, pretende-se garantir a devida rotação dos produtos acabados. A distribuição nos vários canais de venda acontece utilizando tanto as nossas redes comerciais diretas, como o auxílio das principais empresas de transporte nacionais e internacionais.